Translate

Agronomia debate medidas para UMA Floresta Sustentável, 17-Nov, Fac Direito, Uni Lisboa

quinta-feira, 16 de novembro de 2017
Instituto Superior de Agronomia, Lisboa 
Anfiteatro 4 . FACULDADE DE DIREITO, UNIVERSIDADE DE LISBOA 
Sexta-feira, 17-Nov-17, 14h 

Foto de Instituto Superior de Agronomia.Num país que arde todos os anos, em que a propriedade florestal se encontra fragmentada, mal cadastrada e mal gerida, em que as doenças das árvores se multiplicam, em que a produção nacional só consegue suprir 80% das necessidades da indústria, enquanto milhões de hectares estão ao abandono e em que a valorização da produção florestal e a ligação ao mercado são débeis com um licenciamento florestal demasiado burocratizado, impõe-se uma alteração profunda no plano da política nacional de florestas.
Saiba mais sobre este evento em http://www.isa.ulisboa.pt/go/Z3v
A Floresta e o Novo Pacote Legislativo
Evento organizado pelo Colégio F3 - Food, Farming, Forestry
 Num país que arde todos os anos, em que a propriedade florestal se encontra fragmentada, mal cadastrada e mal gerida, em que as doenças das árvores se multiplicam, em que a produção nacional só consegue suprir 80% das necessidades da indústria, enquanto milhões de hectares estão ao abandono e em que a valorização da produção florestal e a ligação ao mercado são débeis com um licenciamento florestal demasiado burocratizado, impõe-se uma alteração profunda no plano da política nacional de florestas. Destarte, este ano, o atual Governo aprovou um conjunto de medidas de reforma florestal para responder aos grandes desafios que se colocam em Portugal neste sector.
Face à enormidade e complexidade do desafio que obriga à criação de novos institutos e instrumentos jurídicos e à simplificação de outros, assim como a uma redistribuição de atribuições, competências e poderes entre a Administração central e o poder local, interessa discutir com os vários stakeholders a sua efetividade e apurar se este pacote florestal tem mais do que uma mera dimensão simbólica.
É neste contexto que o Centro de Conhecimento do Fogo Rural dinamizado pelo Colégio Food, Farming and Forestry (F3) da Universidade de Lisboa e a sua Faculdade de Direito organizam este Colóquio – aberto ao público –, para gerar um debate amplo e inclusivo que interrogue expetativas, comportamentos e políticas
As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias, e deverão ser feitas  Num país que arde todos os anos, em que a propriedade florestal se encontra fragmentada, mal cadastrada e mal gerida, em que as doenças das árvores se multiplicam, assim como a plantação de espécies exóticas, em que a produção nacional só consegue suprir 80% das necessidades da indústria, enquanto milhões de hectares estão ao abandono e em que a valorização da produção florestal e a ligação ao mercado são débeis com um licenciamento florestal demasiado burocratizado, impõe se uma alteração profunda no plano da política nacional de florestas. Destarte, este ano, o atual Governo, no dia Internacional da Floresta, aprovou em Conselho de Ministros um conjunto de medidas de reforma florestal para responder aos grandes desafios que se colocam em Portugal neste sector e que assenta, no quadro da valorização do território, em três áreas de intervenção:
gestão e ordenamento florestal, titularidade da propriedade e defesa da floresta nas vertentes de prevenção e de combate aos incêndios. Face à enormidade e complexidade do desafio que obriga à criação de novos institutos e instrumentos jurídicos e à simplificação de outros, assim como a uma redistribuição de atribuições, competências e poderes entre a Administração central e o poder local, interessa discutir com os vários stakeholders a sua efetividade e apurar se este  pacote florestal tem mais do que uma mera dimensão simbólica. 
É neste contexto que a Faculdade de Direito, em colaboração com o Centro de Conhecimento do Fogo Rural dinamizado pelo Colégio Food, Farming and Forestry (F3)  a Universidade de Lisboa, organiza este Colóquio, para gerar um debate amplo e inclusivo que interrogue expetativas, comportamentos e políticas. 
LOCAL DA CONFERÊNCIA   
Anfiteatro 4 . FACULDADE DE DIREITO, UNIVERSIDADE DE LISBOA 
Alameda da Universidade . Cidade Universitária, 1649-014 Lisboa
PROGRAMA  13h45 Registo dos Participantes  Pedro Romano Martinez, Faculdade de Direito da ULisb

Fogos 2017 - Mais um video da TVI

Fogos 2017 Trabalhadores independentes

INCÊNDIOS: TRABALHADORES INDEPENDENTES ISENTOS DE CONTRIBUIÇÕES
Os trabalhadores por conta própria cuja atividade tenha sido
diretamente afetada pelos incêndios podem requerer a isenção total do pagamento de contribuições à Segurança Social, durante seis meses, prorrogável até ao máximo de igual período.
Os interessados devem apresentar requerimento em modelo próprio disponível aqui: http://www.seg-social.pt/…/e5d0317b-24ca-462d-a40a-8da47348…
SEG-SOCIAL.PT

Beijoz Nov 2017


Mais um admirável video de Ricardo S.

CM Carregal - Orçamento Participativo 2018

“Vamos proteger quem nos protege. Equipe os Bombeiros com Equipamentos de Proteção Individual Urbano” vence Orçamento Participativo 2018
A proposta 2 – “Vamos proteger quem nos protege. Equipe os Bombeiros com Equipamentos de Proteção” – foi a vencedora do Orçamento Participativo Municipal de Carregal do Sal.
Das 3 propostas finalistas, esta foi a que registou maior número de votos – 576 – após o encerramento das votações online, às 24 horas do dia 15 de novembro.
Na plataforma http://participa.carregal-digital.pt, registou-se um total de 781 votos, dois deles presenciais.
Votos por proposta:
Proposta 2 - Vamos proteger quem nos protege. Equipe os Bombeiros com Equipamentos de Proteção Individual Urbano – 576;
Proposta 3 – Requalificação do poço das Poldras – Ribeira do Pisão, Beijós: 195;
Proposta 4 – Monda Térmica: 10.
Com um orçamento de 29.274,00 euros, a proposta vencedora, apresentada pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Carregal do Sal, contempla a aquisição de equipamento de proteção individual adequado para o combate a incêndios urbanos e industriais.
Fonte:  CM Carregal 

Fogos 2017 - Declaração de prejuízos

Incêndios 2017- Abertas As Candidaturas Para Prejuízos Agrícolas Até 1053 Euros

Já está aberta a primeira fase das candidaturas para os apoios agrícolas aos prejuízos decorrentes dos incêndios que deflagraram em outubro último.
Até ao dia 30 de novembro, são submetidas as candidaturas simplificadas (até prejuízos que não ultrapassem os 1053,00€uros, valores de referência do PDR2020) em formulário próprio disponível na plataforma da DRAPC em www.drapc.min-agricultura.pt/base/especial/declaracoes_incendios_102017_drapc.php.

Os formulários podem ser preenchidos, em qualquer local com acesso à internet, pelo próprio, pelos técnicos da Direção Regional, pelas diversas Organizações de Agricultores, pelas Autarquias (Juntas de Freguesia/Câmaras) ou outros.
Após preenchimento, impressão e assinatura o beneficiário entrega o formulário na Junta de Freguesia/Câmara e solicita a confirmação dos prejuízos declarados;
A Câmara/Junta de Freguesia envia semanalmente, à quinta-feira na Delegação mais próxima da DRAP Centro, todas as Fichas de Candidatura validadas para posterior confirmação dos valores (de acordo com a tabela em vigor, disponibilizada “online”) e preparação administrativa do processo com vista ao envio à Segurança Social.
Fonte: CM Carregal 

ACDB elege Direcção

A corrida foi bem renhida quando os sócios da Associação Cultural e Desportiva de Beijós se reuniram em Assembleia Geral no domingo, tendo ao seu dispor a Lista A e a Lista B. 
A apresentação de duas listas demonstra que a Associação é importante para todos, tem dinamismo, contribuiu para a qualidade de vida.
Parabéns e votos de bom sucesso para a Lista A vencedora, que tem a feliz tarefa de preparar a celebração do 70º aniversário que se aproxima.   

Depois dos eventos dramáticos de Outubro, Beijós precisa cada vez mais do bom convívio e bom trabalho coletivo.